Autor

Roussado Pinto

 

Data

4 de Dezembro de 1948

 

Publicação

O Século Ilustrado – nº 570

 

 

 

O INSPECTOR LORRIMER CONTA UMA HISTÓRIA…

Roussado Pinto

 

O Inspector Lorrimer levantou-se da cómoda cadeira em que estava instalado e foi buscar uma revista que repousava sobre a mesa central da biblioteca.

- Bem, Still, para começarmos o nosso serão, vou-lhe ler um problema publicado neste jornal, bem urdido, e para os bons observadores.

- Venha ele! – exclamou o jornalista, afundando-se mais no «maple», enquanto atirava para o ar, voluptuosamente, densas nuvens de fumo arrancadas ao cigarro. 

- Preste atenção. – e o inspector começou a leitura.

Detective-48 030 - «No Quartel dos Serviços Activos da Aviação, tinha terminado a hora para almoçar, e o clarim tocou «a reunir». Logo de todos os cantos da vasta «parada» surgiram soldados que rapidamente formaram em frente ao gabinete do «oficial de dia». Quarenta segundos depois, toda a guarnição do quartel estava presente. Um oficial aproximou-se, passou um breve olhar pelos homens e comandou:

- «Companhia… Sentido» - e logo a seguir: - «Esquerda… volver!» - E a concluir: - «Ordinário… marche!». Todos os pés direitos avançaram num alinhamento impecável e a marcha iniciou-se, na direcção do campo de treinos.

«Não tinham dado mais de duzentos passos, quando um dos soldados gritou: «Meu capitão… o 4088 desmaiou!» O oficial viu de relance o acontecimento e interveio: - «Companhia… alto!» - Imobilizaram-se os homens, enquanto aquele corria para verificar a origem de tão súbito acidente.

«Mandou chamar o médico, que não tardou a chegar, e que, depois de observar o soldado inanimado, diagnosticou: «Comida em excesso… congestão. É melhor levá-lo para a enfermaria». A ambulância, que chegava nesse momento, levou o glutão e a «companhia» voltou a marchar. Que me diz ao problema, Lee Still? Qual o absurdo que existe?

- Fácil, inspector, quase infantil! – respondeu o jornalista. O absurdo é…       

- Não diga mais, não diga mais, amigo… - interrompeu Lorrimer. – Deixe os leitores de «Século Ilustrado» decifrarem o problema…

 

PERGUNTA:

E que tal, leitor: sabe dizer qual o absurdo da história?

 

SOLUÇÃO

© DANIEL FALCÃO