Orientador

Márvel

(António Carlos Pereira da Silva)

 

Datas

De 10 de Maio de 1959

Até 26 de Fevereiro de 1961

 

Publicação

Passatempo

 

 

 

NA PISTA DO CULPADO

 

Esta secção apareceu inserida nas páginas do periódico «ORDEM NOVA», (Orgão da União Nacional do Distrito de Vila Real) em 10 de Maio de 1959. Corria então o XXIV ano de publicação desse jornal, que estava na sua 3.ª série, e levava o n.º 578.

 

O cabeçalho que reproduzimos acima caracterizava a rubrica, que não tinha ainda numeração.

E o orientador, já bastante conhecido nas andanças do “policiário”, iniciava a sua colaboração com o seguinte texto de apresentação:

«Quando surge uma «Secção Policial» em qualquer órgão da Imprensa, é hábito resumir-se o programa pré-elaborado para os seus primeiros tempos. Desta feita não sucederá assim. Temos várias ideias em mente que, contamos, merecerão o vosso agrado, mas serão expostas na altura devida, para manter, assim, a expectativa pela nossa rubrica.

- Mas, que é uma «Secção Policial»? – eis a pergunta que muitos de vós tem motivo para formular.

Uma «Secção Policial» é uma secção dedicada ao género policiário, comportando contos, artigos, curiosidades e outros, mas cujo prato forte é a problemística. A problemística policial é, por sua vez, constituída por problemas policiais, e estes são pequenos contos policiais em que o autor fornece todos os elementos necessários para os leitores descobrirem quem é o ladrão, o assassino, o vigarista, ou conforme o tema versado.

A problemística policiária, além de ser um entretenimento agradável e dignificante, possui ainda factores de inestimável importância para os seus adeptos: à medida que o indivíduo vai resolvendo os problemas, habitua-se a raciocinar e deduzir com lógica, mesmo em situações da vida real, o que se traduz num considerável aumento da capacidade intelectual. Outra excelente qualidade é que não se trata de um passatempo enfadonho ou monótono. Pelo contrário, reveste-se de imprevisto, emoção e interesse, apodos que reflectem perfeitamente a distância a que a problemística está do aborrecimento. É um passatempo mais para a inteligência que para a paciência.

O problema que neste número publicamos é um dos quatro que formarão o nosso primeiro Torneio, o «Torneio de Abertura». Para este torneio apenas serão contadas as respostas dos principiantes, situação que deve ser francamente esclarecida. Todos os «novatos» serão bem-vindos à disputa deste pequeno certame, que dará óptimos prémios aos concorrentes melhor classificados. Sexo ou idade não interessam. O que interessa é que todos respondam à chamada – e quantos mais tanto melhor.»

Seguia-se depois o problema, com o qual procedemos à inauguração, desta nova modalidade de difusão, dos interessantes originais que materializam a História da Problemística Policiária Portuguesa.

E é com muita satisfação e orgulho, que principiamos – como nos foi sugerido pelo Domingos Cabral – por dar nova luz ao valoroso e imenso trabalho dedicado à Problemística Policiária, pelo nosso Amigo António Carlos Pereira da Silva, prolífico autor de problemas policiais de grande categoria, que se viram publicados não só nas secções que ele dirigiu, como naquelas em que colaborou, e foram praticamente todas as do seu tempo.

Ao António Carlos dedicamos – bem o merece – esta nova série do ARQUIVO HISTÓRICO DA PROBLEMÍSTICA POLICIÁRIA PORTUGUESA.

Jartur

(1 de Março de 2020)

 

PROBLEMAS PUBLICADOS

 

 

SECÇÃO

DATA

PROBLEMAS

 

Torneio de Abertura

 

1

10.Maio.1959

1

A MORTE DO CINEASTAMárvel

 

2

17.Maio.1959

2

DE CINCO RESTAM QUATROMárvel

 

3

24.Maio.1959

3

UM CADÁVER NO MATAGALMárvel

 

4

31.Maio.1959

4

O GRAVADOR RELATA O CRIME…Márvel

 

 

 

 

 

 

Torneio de Homenagem ao Policiário Português

 

9

5.Julho.1959

1

QUEM FOI?...Márvel

 

10

12.Julho.1959

2

O GOSTO DO MISTÉRIOMárvel

© DANIEL FALCÃO